JANTAR VÍNICO
“LEVA-ME AOS FADOS:
O SENHOR VINHO”

Com Pedro Moutinho, André Dias (Guitarra Portuguesa) e Tiago Silva (Viola)


Apresentação de Vinhos de Lisboa por José Miguel Meneses de Almeida

Neste jantar terá a oportunidade de provar alguns dos melhores vinhos da Região de Lisboa. Manuela Cerca, por sua vez, criará um menu que conjuga na perfeição com os vinhos selecionados, entre harmonias e contrastes. E a cereja em cima do bolo: vamos aos fados com Pedro Moutinho, senhor de um percurso ímpar que o transformou num dos grandes fadistas da actualidade.

Sábado 20h00
Restaurante Casas do Bragal
Preço: 45,00 €
Reservas até dia 13 de Outubro para: T 962 610 050 | T 918 431 155
mundodovinho10@gmail.com / facebook.com/omundodovinho
(lotação limitada)


Sobre a ementa…

Ouvir fado é remetermo-nos para muito  daquilo que somos. É chegar lá atrás nas nossas memórias e pôr  a mesa com elas. 

É com esse sentir que lhes propomos uma noite diferente, com um menu que alia a simplicidade da nossa cozinha ao cuidado necessário para que brilhem os sabores ao lado dos fadistas. 

Umas entradinhas bem nossas: pastéis de massa tenra, bolinhos de bacalhau, sardinhas em vinagrete, azeitonas.

O belo caldo verde
Chambão de vitela rosada, assado no forno ( de comer à colher)com arroz de fumeiro.
O carismático buffet de sobremesas
Harmonização com vinhos da Região de Lisboa.

Manuela Cerca

© Restaurante Casas do Bragal


PEDRO MOUTINHO

Foi embalado pelo som do fado e cresceu com ele como se de uma herança genética se tratasse. Não há separação entre o fado e o homem que o canta. Existe sim, uma familiar fluidez entre um e outro, natural de quem já se conhece há muito tempo. Pedro Moutinho nasceu em Oeiras no ano de 1976, no seio de uma família com raízes profundas no Fado. Aos onze anos já cantava em encontros informais e familiares, tertúlias cada vez mais alargadas e seduzidas pelo timbre, único, da sua voz. A sua voz levou-o ao Coro de Santo Amaro de Oeiras, onde desde muito novo se destacou, mas o fado sempre falou mais alto e no final da adolescência estreia-se profissionalmente no Clube de Fado e no histórico Café Luso, entre outras casas icónicas. Em 2003 editou “Primeiro Fado” o seu álbum de estreia em nome próprio que viria a ser agraciado com o Prémio Revelação da Casa da Imprensa. Três anos depois lançou “Encontro”, levando ainda mais além a sua ideia de junção do clássico ao contemporâneo. Com este trabalho recebeu a distinção de Melhor Álbum nos Prémios Amália Rodrigues.

Em 2007 integrou o elenco do filme “Fados”, do realizador espanhol Carlos Saura e dois anos mais tarde, em 2009, editou o LP “Um Copo de Sol”, que alcançou enorme sucesso junto da crítica e do público. Neste trabalho interpretou poemas escritos para si por diferentes autores como Aldina Duarte ou Manuela de Freitas e contou ainda com músicas escritas para a sua voz da autoria de Pedro Campos, Amélia Muge e Rodrigo Leão. Em 2013 regressou aos discos com “O Amor não Pode Esperar”, que simbolizou a sua primeira década de edições discográficas. 2016 foi o ano de lançamento de “O Fado em Nós”, gravado no Museu do Fado.

Em 2019 Pedro Moutinho editou o seu mais recente álbum “Um Fado Ao Contrário”, assumindo no seu título aquilo que tem vindo a fazer ao longo do seu percurso enquanto fadista: inovar sem romper com a tradição. Desta feita contou a colaboração de Filipe Raposo, que se encarregou da produção, colaborando com nomes como Amélia Muge, Maria do Rosário Pedreira, Manuela de Freitas e Pedro de Castro ou Márcia.

Para além dos álbuns mencionados, Pedro Moutinho tem, em nome próprio, a colectânea “Lisboa Mora Aqui – O Melhor de Pedro Moutinho”(2010) em que protagoniza dois duetos inéditos com a cantora cabo-verdiana Mayra Andrade (“Alfama”) e com Tiago Bettencourt (“Vou-te Levando em Segredo”). Já se passaram mais de 15 anos de uma carreira vivida intensamente com espectáculos por todo o país e também por todo o mundo. Um percurso ímpar que transformou Pedro Moutinho num dos grandes fadistas da actualidade.




A Região Demarcada dos Vinhos de Lisboa é actualmente um dos principais territórios vinhateiros de Portugal. Começa junto à praia de Carcavelos, abraça a capital e estende-se para oeste e para norte ao longo de 150 km, numa faixa que não dista mais de 40 km do mar. A Região de Lisboa tem tudo o que um bom apreciador de vinhos pode desejar. No lado norte da capital, poderão encontrar belas vinhas que acompanham o relevo ondulado, polvilhados por moinhos, quintas, castelos e palácios, praias incríveis com ondas de classe mundial e serras com paisagens de tirar o fôlego. As vinhas de Lisboa estão localizadas junto à costa, expostas às brisas frescas e salgadas do Atlântico e ao calor do interior de Portugal. À noite, as folhas das videiras são naturalmente irrigadas pela humidade trazida pela neblina e nevoeiro matinal e durante o dia recebem o calor das tardes ensolaradas, ideal para atingir maturações bem equilibradas. Este Terroir único, onde cada casta responde de forma diferente, é o local ideal para explorar e testar a diversidade. É por isso que aqui se produzem vinhos deliciosos com castas premium, que convidam a descobrir um território fascinante na sua história, património e gastronomia.

RESTAURANTE CASAS DO BRAGAL

Com vinte anos de vida, repartidos entre a Beira Alta onde se implantou e Coimbra onde veio desaguar, acompanhando as águas mondeguinhas, o Restaurante Casas do Bragal tem no seu ADN a cozinha tradicional portuguesa, pura e genuína algumas vezes interpretada por quem a ama, lhe sente a alma nos aromas e o pulsar nos sabores. Ao respeito pelo produto, na sua confecção, acrescentamos, porque era-lhe merecido, o cuidado na sua apresentação, sem “rodriguinhos” mas seguros de que essa é uma das nossas marcas diferenciadoras.

Degustar a nossa ementa não pretende ser mais do que um dos muitos momentos memoráveis que devemos colecionar nas nossas vidas.

Regressar